Santo Católico

Santa Gemma Galgani

Publicado em: , , , ,

Santa Gemma GalganiDia 10 de abril

História: Santa Gemma Galgani é uma das santas mais conhecidas e recentes da História da Igreja Católica. Santa Gemma Galgani nasceu em Lucca, Itália, em 1878.

Ainda criança quando apenas tinha oito anos morreu-lhe a mãe. Em meio a sua grande tristeza ajoelhou-se ante uma imagem da Santíssima Virgem e lhe disse: “Mãe celestial, já não tenho a minha mamãe da terra.

Queres tu representá-la e ser minha mãe de agora em diante?”. A Virgem Maria certamente aceitou seu pedido e durante toda sua vida a ajudou e a consolou e de forma impressionante. Era filha nascera em Camigliaio, farmacêutico. Morreu de tuberculose, transmitindo a Gemma Galgani essa enfermidade, o que muito a fez sofrer durante toda sua existência.

Ao morrer seu pai, a menina sentiu-se ainda mais desprotegida, mas uma família muito católica a recebeu em sua casa e a atendeu sempre com especial carinho, mais como uma filha que como uma serviçal. Uma série de enfermidades que os médicos declararam incuráveis, passou a atacá-la. Rezou com toda sua fé a São Gabriel instantaneamente se viu curada. Quis ser religiosa, mas a superiora temendo por sua saúde não a admitiu na Comunidade.

Dispôs-se então a continuar no mundo, porém vivendo em santidade recolhimento e pureza de uma fervorosa religiosa. Santa Gemma Galgani foi dirigida espiritualmente por um Padre Passionista, e por ordem de seu diretor espiritual escreveu os fenômenos espirituais que lhe sucediam. Diz assim em suas memórias: “No ano 1899, de repente senti um profundíssimo arrependimento de todos meus pecados e me apareceu Jesus Cristo com suas cinco chagas e de cada uma delas saíam como chamas de fogo que vinham a tocar minhas mãos e meus pés e meu peito, e apareceram em meu corpo as cinco chagas de Jesus”.

Desde 1899 teve permanentemente as cinco feridas de Jesus Crucificado que ela ocultava cuidadosamente. Suas mãos as cobria com luvas grandes. Desde então cada semana, nas quintas-feiras às 8h da noite às três da tarde de sexta-feira, apareciam-lhe por toda pele as feridas e em sua cabeça as da coroa de espinhos, no ombro o peso de uma grande cruz que lhe produzia dor e ferimentos e a fazia encurvar-se dolorosamente. Desde pequenina, Santa Gemma Galgani teve uma grande devoção à Paixão e Morte de Jesus.

Quando jovem bastava ler a Paixão de Jesus para que ela se entusiasmasse e se comovesse enormemente. Mais tarde quando sentia angústias ou a insultavam, lhe bastava dedicar-se a pensar na Paixão de Cristo para sentir paz e consolo. Sempre havia desejado sofrer as mesmas feridas que sofrera Nosso Redentor, Mal haveria de supor que aos 21 anos passaria a ter em seu próprio corpo aquelas chagas que coincidiam exatamente com as que mostrava o crucifixo ante o qual se rezava.

A saúde de Gemma em seus últimos anos foi terrível. Um tumor canceroso na coluna vertebral constituía-lhe um tormento, dia e noite. Vomitava sangue e lhe vinham terríveis tentações de blasfêmia (a ela que desde pequena lhe bastava escutar uma blasfêmia ou uma palavra grosseira para desmaiar de espanto e de horror). Perdera a visão e ficara cega. Porém quando cessavam os ataques do inferno, inundava-lhe uma profunda paz interior e sentia que Cristo e a Virgem Maria vinham a falar-lhe e a consolá-la.

O Senhor cumpria com Gemma o que prometeu na Santa. Bíblia: “Deus permite sofrer mais, os filhos que mais ama para que se santifiquem e assim ganhem maior prêmio para a eternidade”. Gemma é patrona dos que sofrem graves enfermidades e tentações, mas que a tudo desejam oferecer por Deus e pela salvação das almas. Conta-se que Gemma sempre pedia a Deus com orações, missas, comunhões e sacrifícios, pela conversão de um homem bastante mundano. Sucedeu que ao ir de sua casa à igreja, alguém a insultou muito selvagemente e a jovem não respondeu sequer uma só palavra a aqueles insultos e o ofereceu pela conversão dos pecadores.

Ao chegar à Igreja, ouviu o que Nosso Senhor lhe dizer: “O sofrimento por esse insulto era a cota que faltava para que aquele homem se convertesse. Tu mo ofereceste com paciência e agora esse homem mudará de comportamento”. No dia seguinte os que estavam na igreja viram no confessionário que um homem chorava fortemente, confessando-se muito arrependido e sabe-se que dali para frente, plenamente convertido, viveu santamente. A paciência, de uma mulher insultada havia sido o último impulso que o levou à conversão.

E assim como este homem, muitos mais se converteram por causa das orações e dos sofrimentos que Gemma oferecia pela conversão dos pecadores: porque a oração e o sofrimento que se oferecem a Deus nunca voltam sem conseguir conversões e salvação para outros. Essa mística teve sua existência comprovadamente atormentada por afrontas de todos os tipos. Certa vez, ao ir se confessar, o demônio lhe aparecia em forma humana no lugar de seu confessor, sugerindo-lhe obscenidades.

Outras vezes apareceu-lhe como um anjo cheio de luz, mas rapidamente de desmascarava desaparecendo numa grande chama vermelha e deixando um monte de cinzas ao chão. Foi surrada pelo Inimigo que a deixou inerte ao chão, rosto transfigurado pelo inchaço e ossos deslocados. Mistérios insondáveis. Gema Galgani sentia a visita de Jesus, de Nossa Senhora e do Anjo da Guarda que a confortavam. Disposta a santidade, recebeu estigmas.

As manifestações de sua santidade ultrapassavam os limites do bairro e da cidade onde morava e muitos que movidos pela curiosidade batiam à sua porta, à rua dos Borghi (em Lucas) onde a santa morava e saiam transformados. A doença nos ossos que a atormentara em criança, voltara a atormenta-la. Em sua humildade ainda achava que pouco pagava pela paixão que Cristo sofrera por seus pecados e da humanidade.

Num Sábado de Aleluia a 11 de abril de 1903, com 25 anos de idade e a 12 de abril foi sepultada. Gemma Galgani que com seus sofrimentos havia tratado de pagar a Deus seus pecados e os de muitos outros, voou para a eternidade para receber o prêmio de seus sofrimentos e do imenso amor que nutriu sempre a Jesus Cristo e a Santíssima Mãe de Deus. Considerada como uma verdadeira santa o Papa Pio XI a declarou beata apenas 30 anos após sua morte (em 1933). Pio XII a canonizou em 1940.

Oração da Santa Gemma Galgani: Santa Gemma Galgani, querida amiga e irmã principalmente dos que amam a Jesus, dedico-te tua própria história, consagrando-me a teus cuidados e proteção. Alcançai-nos de Deus que meditemos freqüentemente com grande amor na Paixão e Morte de Jesus Cristo: que tenhamos enorme confiança ma proteção de nossa Mãe Celestial e que ofereçamos todos nossos sofrimentos pela salvação das almas e conversão dos pecadores.Intercedei junto a Deus por mim e por todos os que me são caros, por aqueles que se encontram afastados da fé e por aqueles que tanto almejam a santidade. Ofereço em união aos teus sofrimentos os meus sofrimentos, para que perdoada(o) seja de minhas faltas e que no momento de minha morte encontre-me plenamente preparada(o) para viver a celestial vida que Deus me deseja por toda a eternidade. Louvo-O por tua vida santa, teus sofrimentos, tua beleza interior. Faz-me bela(o) como tu, Gemma Galgani, diante dos olhos santos de Nosso Senhor. Amém.

Devoção: Às santas Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo

Padroeiro: Das graves enfermidades e tentações

Outros Santos do dia: São Ezequiel, Miguel dos Santos (conf); Pompeu, Terêncio, Africano, Alexandre; Máximo, Edormão, Zenão, Teodoro (mártires); Macário, Paládio, Fulberto (bispos).

|