São Francisco de Assis

São Francisco de Assis

Dia 04 de outubro

História: São Francisco de Assis é, sem dúvida, uma das mais atraentes personalidades da história; homem sem fronteiras que tem a simpatia de muitos: católicos e não católicos. O pai, notável comerciante, ambicionava que seu filho continuasse o mesmo rumo; o de um grande comerciante.

Mas São Francisco, de gênio alegre e folgazão, não gostava de comercializar e sim sentia em si um forte pendor para os prazeres do mundo. Somente a educação sólida e a profunda religiosidade que recebera de sua piedosa mãe fizeram-no evitar cuidadosamente as más companhias. Quando jovem, Francisco sonhou com as glórias militares.

Participou de uma guerra entre a cidade de Assis e a vizinha cidade de Perusa mas acabou sendo preso e colocado na cadeia onde sofreu por um ano. Quando estava pensando em outra aventura militar, sentiu repentina crise de consciência que lhe questionava a validade das ações militares.

Retornou a sua cidade natal e, aos poucos foi amadurecendo nele uma radical conversão: Deus o chamava, não às glórias de um militar, nem à ambição do comércio mas à imitação radical da pobreza, num tempo em que a sociedade estava naufragada no materialismo e ambição. Começou pela prática do amor profundo para com os pobres; fazendo o propósito de nunca lhes negar esmola ou auxílio.

Certa vez Francisco não tinha consigo meios para ajudar a um mendigo. Resolutamente tirou o manto novo e trocou-o pelos farrapos do pobre. Depois, num passeio a cavalo, um leproso estendeu-lhe a mão, pedindo-lhe esmola. Francisco deu uma generosa ajuda mas ao ver a mão do leproso sentiu horror e nojo. Envergonhado, porém, por esta fraqueza, tomou a mão do doente e a beijou ternamente.

Pouco a pouco foi formando em Francisco o desejo de desfazer-se de todas as vaidades do mundo e procurar a solidão, a oração a penitência. O pai de Francisco, não suportando a escolha do filho, chegou a maltratá-lo duramente, levando-os após à presença do bispo de Assis, a fim de deserdá-lo. Com certeza, dessa forma, Francisco poderia desistir de sua escolha. Mas Francisco ainda tirou suas vestes, entregou-as ao pai, dizendo: “Até este dia vos chamei de pai. Agora poderei dizer com toda a razão: “Pai nosso que estais nos céus, porque só nele pus minha esperança”.

Vestiu um grosso hábito, cingiu-se de áspero cordão, e tomou a resolução de viver em pobreza apostólica. Inicialmente foi encarado como um louco mas, aos poucos, a simpatia e a admiração de muitos lhe passaram a ser demonstradas. Outros amigos resolveram partilhar dessa sua aventura espiritual. Com doze companheiros, escolheu como residência uma velha capelinha fora dos muros de Assis, chamada “Porciúncula”.

Aí deu início, quase sem querer ou saber, ao extraordinário movimento franciscano, que mais tarde se articulou em três Ordens. A Ordem Terceira destinava-se aos leigos que desejavam viver no mundo o espírito de pobreza evangélica adaptada ao próprio estado de vida. A Regra que ele deixou era simples: “A pobreza, dizia, é o caminho da salvação, o fundamento da humildade, e a raiz da perfeição.

Produz frutos escolhidos, mas que se multiplicam de mil maneiras. Não vos incomodeis com o conceito dos homens que vos desprezam. Pregai a penitência com toda simplicidade, confiando naquele que venceu o mundo pela humildade”. Dois anos antes da morte, Deus selou, por assim dizer, sua ânsia de semelhança com Jesus Cristo, através dos estigmas: isto é, a reprodução no seu corpo dos sinais da paixão e morte de Cristo. Seus últimos anos de vida foram atormentados por várias doenças que culminaram na quase total cegueira. Foram 21 anos vividos em total conversão.

São Francisco de Assis, um exemplo de vida

São Francisco de Assis manifestava seu amor a Deus por uma alegria imensa, que se expressava muitas vezes em cânticos ardorosos. A quem lhe perguntava qual a razão de tal alegria, respondia que “ela deriva da pureza do coração e da constância na oração”.

A santidade de São Francisco de Assis lhe angariou muitos discípulos e atraiu também uma jovem, filha do Conde de SassoRosso, Clara, de 17 anos. Desde o momento em que o ouviu pregar, compreendeu que a vida que ele indicava era a que Deus queria para ela. Francisco tornou-se seu guia e pai espiritual. Nascia assim a Ordem Segunda dos Franciscanos, a das Clarissas. Depois, Inês, irmã de Clara, a seguia no claustro; mais tarde uma terceira, Beatriz se juntou a elas.

São Francisco de Assis e os animais

A proximidade de Francisco com a natureza sempre foi a faceta mais conhecida deste santo. Seu amor universalista abrangia toda a Criação, e simbolizava um retorno a um estado de inocência, como Adão e Eva no Jardim do Éden.

São Francisco de Assis

Devoção a São Francisco de Assis

No verão de 1225, Francisco esteve tão enfermo, que o cardeal Ugolino e o irmão Elias o levaram ao médico do Papa, em Rieti. São Francisco de Assis perguntou a verdade e lhe dissessem que lhe restava apenas umas semanas de vida. “Bem vinda, irmã Morte!”, exclamou o santo.

Em seguida pediu para ser levado à Porciúncula. Morreu no dia três de outubro de 1226, com menos de 45 anos, depois de escutar a leitura da Paixão do Senhor. Ele queria ser sepultado no cemitério dos criminosos, mas seus irmãos o levaram em solene procissão à Igreja de São Jorge, em Assis.

Ali esteve depositado até dois anos depois da canonização. Em 1230, foi secretamente trasladado à grande basílica construída pelo irmão Elias. Ele foi canonizado apenas dois anos depois da morte, em 1228, pelo Papa Gregório IX. Sua festa é celebrada em 04 de outubro.

Devoção: À prática da caridade, depojamento dos bens materiais

Padroeiro: Das aves, animais, pessoas carentes

Outros santos do dia: Pedro (mártir); Crispo, Caio, Fausto, Eusébio (presb.); Queremão, Lúcio (diac); Marcos, Marciano, Quintino, Audato e Calístenes, Isidoro e Bonifácio (márts); Petrônio, Joaquim e Hileroteu (bispo).

Curiosidades:

São Francisco de Assis foi chamado Francisco pelo povo da França – Seu pai, Pedro Bernardone, foi um comerciante que trabalhava na França. Como estava neste país quando seu filho nasceu, as pessoas o apelidaram de “Francesco” (o francês), por mais que no batismo tenha recebido o nome de João.

Foi prisioneiro de guerra durante um ano – Quando tinha cerca de 19 anos, antes de sua conversão, uniu-se ao exército e lutou em uma guerra travada entre as cidades de Perugia e Assis. Foi feito prisioneiro durante um ano, mas finalmente foi libertado ileso.

São Francisco de Assis visitou um sultão muçulmano, pregou o Evangelho e o desafiou a uma prova “de fogo” a fim de provar a verdade do cristianismo – Durante a quinta cruzada, Francisco e um acompanhante viajaram a território muçulmano para visitar o sultão do Egito e Síria, Al-Kamil. O santo pregou diante do sultão e, para demonstrar sua grande fé na religião cristã, desafiou os presentes a um “prova de fogo”, que consistia em que ele e um muçulmano caminhassem por uma trilha em chamas, com a ideia de que o seguidor da religião verdadeira deveria ser protegido por Deus. Francisco se ofereceu a ir primeiro, mas Al-Kamil recusou o desafio. Entretanto, o sultão ficou tão impressionado por sua fé que deu permissão para Francisco pregar em sua terra.

Recebeu os estigmas enquanto realizava um jejum de 40 dias – Os estigmas são uma condição na qual as feridas de Cristo aparecem sobrenaturalmente no corpo de uma pessoa. Um franciscano que o acompanhou disso: “De repente, teve a visão de um serafim, um anjo de seis asas em uma cruz. Este anjo lhe deu o dom das cinco chagas de Cristo”. Isto aconteceu em 1224, durante um jejum de 40 dias no Monte Alvernia, quando se preparava para a Festa de São Miguel Arcanjo, em 29 de setembro

Frases e Pensamentos de São Francisco de Assis

“Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.”

“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado…
Resignação para aceitar o que não pode ser mudado…
E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.”

“Apenas um raio de sol é suficiente para afastar várias sombras.”

“Ninguém é suficientemente perfeito, que não possa aprender com o outro e,
ninguém é totalmente estruído de valores que não possa ensinar algo ao seu irmão.”

Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.
Amém!

São Francisco de Assis, rogai por nós!

oracoes e santos